[A Saga do Cão Guia] – Capítulo 6

Fiquei um tempão sem escrever. Por parte foi porque não havia nada novo a acrescentar, muita coisa foi repetição do que já aprendemos, e por outro lado foi minha vontade de aproveitar o meu tempo livre… dormindo.

Essa história de ficar acordando todo dia às 6 horas da manhã ta me destruindo aos poucos, hahaha. Aproveito os finais de semana para dormir umas 12 horas, assim consigo aguentar a semana novamente. Definitivamente, eu não sou uma pessoa com hábitos diúrnos.

Vamos ao que tivemos de novo essa semana. Comecei a colocar botas no Timmy, agora ele é um verdadeiro kick-ass. Os cães usam as botas quando está muito frio ou muito calor, para que não machuquem as patas. O Timmy estava com uma das patas um pouco ralada, e toda vez que ele pisava em areia, uma pedrinha, dava pra sentir ele dar uma mancada. No momento que eu coloquei as botas nele, ele achou que estava usando as sandalhas de Hermes, o baixinho queria andar muito rápido, quase voar!

Os outros cães foram introduzidos as botas dois dias depois, e tiveram que fazer algumas caminhadas pequenas para que se acostumassem com elas. Os instrutores falaram que normalmente demora para que se acostumem a usá-las, e a maioria deles não gosta nem um pouco. Já o Timmy parece adorá-las.

Começamos a fazer algumas rotas diferentes das que fazíamos em White Plains, mais longas, com mais trânsito nos cruzamentos, com mais gente nas calçadas. Nesse momento notamos que o Timmy estava tendo um pouco de dificuldade em me puxar para a direita, quando necessário. Trocamos a minha harness (arreio (essa é a tradução do dicionário, mas me parece muito estranho. É onde seguramos para sermos guiados pelo cão)), para um modelo que tem uma curva na metade, o que me faz ficar um pouco mais para a direita do cachorro, questão de poucos centímetros. Esse espaço já é suficiente para que ele se sinta mais livre para me puxar para a direita, e depois de um tempo de adaptação com a harness, tudo ficou bem.

Cada vez mais os exercícios de obediência estão ficando mais complicados. Todos os dias introduzimos uma nova distração, para testar os cães e ensiná-los a focarem-se no trabalho que eles tem que fazer.

Na quinta-feira, fizemos uma rota em White Plains até um shopping. Andar no shopping com o Timmy foi mais tranquilo que imaginei, apesar do zig-zag constante que a gente fazia para desviar das pessoas e bancos.

Trabalhamos como entrar no elevador com o cão, e fizemos uma parada que eu estava esperando fazia tempo: Apple store!

Consegui comprar um notebook novo, bem o que eu queria. Na loja o Timmy só queria ficar deitado dormindo, nem dando atenção pras coisas ao seu redor, o que foi muito interessante de observar, pois esse é o jeito que ele precisa se comportar.

Em um dos dias tivemos alguns problemas quando eu estava praticando o que chamamos de targeting, ou seja, criar um alvo para o cachorro, para que semrpe que dermos o comando, ele nos leve até lá. Tentei dois dias seguidos no final do dia, a noite, e ele não respondeu bem aos procedimentos. Depois troquei o exercício para a parte da manhã, logo após ele acordar, e as coisas começaram a melhorar, ele está mais descansado essa hora e mais alerta. Vamos continuar trabalhando nisso.

Essa semana foi bem pesada. Tivemos vários testes com o cachorro, o que se torna algo um pouco estressante, às vezes. Você quer fazer o melhor, mas nem sempre é possível porque o cão se distrai, você fez alguma coisa errada, acidentes de percurso. Tem dia que chega no fim e você analisa quais foram os seus progressos e percebe que você só achou novas falhas, o que desanima um pouco antes de dormir. Mas chegar no final de semana e refletir bem sobre como tudo se passou, perceber que é melhor achar todas as suas falhas e do seu cão durante o treino, onde existem pessoas para te orientar e você vê um progresso naquele dia ruim que você foi dormir chateado.

Na sexta-feira a tarde, fizemos um check up nos cães no veterinário que tem aqui na escola. Com todas as turmas, eles fazem um desafio que você chuta o peso do seu cão, e o que chegar mais perto, ganha um prêmio. Como eu já tinha passado apuros com as medidas malucas que eles usam por aqui, eu já sabia que eles mediam peso em libras. E como eu fiz minha tarefa de casa muito bem na semana passada, eu sabia quanto ela valia, então estava pronto para participar. Sem um motivo específico em mente, na semana passada ainda eu tentei levantar o meu cachorro do chão para ter uma idéia de quanto ele pesava. Na hora que tive que dar o meu palpite, eu disse 65 libras, fazendo uma estimativa do que eu tinha sentido na vez que levantei ele. E adivinhem só? Eu fui o vencedor!!! o Timmy pesa 65.1 libras.

Essa semana também conseguimos algumas informações que estavam faltando, tal como o número de identificação do cachorro, e a data de aniversário. O Timmy tem quase 2 anos, fará aniversário dia 13 de abril.

Na sexta-feira à noite, fizemos uma caminhada noturna. Essa caminhada era mais destinada às pessoas com baixa visão, para ver se elas tinham o mesmo desempenho que estavam tendo durante o dia. Às vezes, quem ainda tem um pouco de visão ajuda o cachorro a guiar usando a visão, o que não deve ser feito, e quando chega a noite o cachorro pode ter problemas por sentir falta dessas ajudas, mas elas fazem isso sem perceber, então era mais uma análise geral da situação. Como eu sou cego total, para mim não tinha muita diferença, mas a experiência continuava sendo válida por ser um caminho totalmente novo, em uma cidade bem pequena aqui perto. As calçadas pareceram muito com as que tenho perto de casa, algumas um pouco quebradas e com árvores no meio. E tinha até um gambá por perto (que eu não tenho perto de casa), que deu para sentir o cheiro de longe. Falei que estavam nos levando para a floresta ao invés de uma cidade e fiquei tagarelando músicas sobre florestas no rítimo de Yellow Submarine, algo como:
‘We are going, to the forest,
With my friends, and my dog.’ Entre outras variações e estrofes.
De tanto ouvir, o meu colega de caminhadas começou tagarelar, às vezes, a mesma música e deixar a instrutora maluca, de tão sem graça que era 😛

Opa, encontrei algo que não contei para vocês ainda. Desde essa semana, começamos a fazer caminhadas em duplas. Dois usuários de cão guia caminham juntos, afim de acostumá-los a andar junto de outro cão, caso você tenha que andar com um amigo, etc. Isso também serve como um exercício de distração para o cachorro, onde ele precisa focar-se apenas no seu trabalho, e esquecer o outro cachorro, bem interessante.

Cada pessoa lidera uma quadra, o que significa ir na frente do outro, nunca lado a lado, parando nos meio-fios esperando pelo parceiro. O que é engraçado, o cachorro que está na frente normalmente começa a andar mais de vagar para esperar o amigo, e o que está atrás começa a querer andar mais rápido para se encontrarem, e aí que entra o nosso controle sobre a situação, temos que manter o mesmo passo que estamos acostumados, e focar a atenção deles no que queremos, e não no que eles querem.

No sábado de manhã fizemos a caminhada mais longa de todas, um treinamento que requeria a atenção constante do dono do cão. Estávamos andando naquele tipo de estrada onde não há calçadas, apenas grama. Nesses casos temos que andar no canto da rua, seguindo a linha de grama. Temos que sempre parar e termos certeza que o cão está perto dessa linha de grama, e não no meio da rua. No final foi uma caminhada agradável, porque o Timmy dominava bem a coisa, mas eu reforcei do mesmo jeito os procedimentos, para ter certeza que ele estava fazendo a coisa certa.

No domingo, finalmente, pude dormir bastante e ter um tempo de folga, que brinquei com o Timmy e fiquei na internet. Esse cachorro adora dormir, e sempre tenho dificuldades em acordá-lo, preciso chamá-lo várias vezes. Acho que ouvi em algum lugar que os cães são parecidos com os donos….

Anúncios

~ por lucasradaelli em 20 de março de 2011.

9 Respostas to “[A Saga do Cão Guia] – Capítulo 6”

  1. haha adorei esse post, principalmente quando fala da dificuldade de acordar o cachorro… cada dono tem o cachorro que merece! xD
    Continue o trabalho ae véi!

  2. Timmy ja tá te imitando! 😀
    Já tomou um starbucks ae nos states?

  3. Cara, ouvi o nerdcast e queria vir aqui agradecer. Essa semana eu ajudei um moço a desviar de uma pilha de areia enorme na calçada e ontem, eu e uns amigos estávamos conversando sobre a situação dos cegos em São Paulo e de como nós não tínhamos nem noção do quanto eles estavam vulneráveis e etc.
    O nerdcast me ajudou bastante a entender e desmistificar certas coisas… então, obrigada!

  4. Depois que ouvi o NerdCast vim aqui dar uma olhada no blog, adorei a Saga do Cão Guia, e o Timmy é realmente lindo. Até mais.

  5. Adorei ouvir você no NerdCast!
    Vou acompanhar teu blog também!
    Parabéns!

  6. Mas um que ápos ouvir o NerdCast, ficou por conhecer você :)! Achei demais seus posts da Saga do Cão Guia! O Timmy é demais cara!
    Quando tiver por Sampa, tirar um contra de Magic! RSRSRS abs

  7. Simplesmente incrível.

  8. Cara! Sobre conduzir um cego na hora de atravessar a rua, acredite, eu aprendi com o humorista Geraldo Magela daqui de BH.
    Ouvi pouquíssimos nerdcast, mas fui recomendado a ouvir o que você participou. Muito bacana! Li os seis capítulos da saga do cão guia de uma vez. Legal demais. Parabéns!
    Felicidades com o Timmy!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: